Havan, Fort e Multi Open Shopping: grandes marcas chegam e consolidam o mercado do Sul da Ilha
1 de julho de 2018
Baleias-francas e o espetáculo da natureza: onde e quando vê-las no litoral catarinense
29 de julho de 2018

Guia de Trilhas imperdíveis para fazer no Sul de Florianópolis

Pra quem gosta de aventura, uma boa opção pra aproveitar Florianópolis é explorar a cidade por meio das trilhas. No Sul da Ilha, há diversas opções sensacionais de trilhas pra conhecer!

Tem desde os trajetos mais fáceis até aqueles que exigem um bom preparo físico. Não importa qual trilha você escolha, o fim do caminho vai ter sempre um VISUAL INCRÍVEL pra você contemplar. Vegetação nativa, paisagens lindas, cachoeiras e fontes d’água, sítios arqueológicos e histórias fascinantes. Tem de tudo nas trilhas do Sul da Ilha!

Quer saber mais? Confira o guia que preparamos com trilhas imperdíveis pra fazer no Sul da Ilha! Só não esqueça de levar muito protetor solar, água, comida, repelente, câmera fotográfica e, claro, muuuita disposição!

 

1) Trilha de Naufragados

Uma das trilhas mais conhecidas e percorridas durante o verão, a Trilha de Naufragados é uma das queridinhas do Sul da Ilha. É por esse caminho que se chega à região de Naufragados, extremo sul da cidade, onde só dá pra ir a pé ou por embarcação. Depois de percorrer toda a rodovia Baldicero Filomeno, você chegará a uma entrada arborizada bem estilo rural, que dá acesso ao início da trilha. O caminho é para iniciantes e pode ser feito sem grandes dificuldades, já que o percurso é bem marcado e sem grandes desníveis. No trajeto, você vai encontrar muita mata atlântica nativa, riachos e fauna local. É um paraíso quase intocado! Ao fim da trilha, você chegará à praia de Naufragados, que tem um visual de tirar o fôlego. Ali não há hotéis, comércio ou qualquer tipo de barulho, a não ser o som da natureza. Se você pretende ficar mais tempo e quer parar para almoçar, é possível comer em um dos restaurantes caseiros de pescadores. Dá também para explorar bem o local, que conta com o Farol de Naufragados, ruínas, uma bateria de canhões históricos e a Ilha de Araçatuba, onde foi erguido o Forte de Nossa Senhora da Conceição, em 1742. Dá pra passar uma tarde inteira lá!

  • Localização: fica ao fim da Rodovia Baldicero Filomeno, na Caieira da Barra do Sul. É possível ir de carro e deixá-lo em um estacionamento pago ou de ônibus (até o ponto final da Caieira)
  • Extensão e tempo aproximado: 2.621 metros / cerca de 50 minutos
  • Nível de dificuldade: fácil
  • Curiosidade: o nome dado à região da trilha faz referência a dois episódios que aconteceram em meados do século 18. Duas embarcações de médio porte usadas pelos portugueses naufragaram bem em frente à praia. Dos 250 colonos açorianos que rumavam para o Rio Grande do Sul, apenas 77 escaparam.

A trilha de Naufragados reserva um visual incrível aos seus exploradores.

 

2) Trilha da Cachoeira da Solidão

Cachoeira, rio, fontes d’água, praia e muito verde! A trilha da Cachoeira da Solidão proporciona acesso a um lugar incrível no Sul da Ilha. Rápida de fazer, a trilha pode ser percorrida facilmente. Ao fim do percurso de 850 metros, você vai chegar a um lugar que é pura tranquilidade. Conhecido como praia da Solidão, o local era chamado antigamente de praia do Rio das Pacas. Atravessando a ponte de madeira sobre o rio, é possível subir à direita por uma outra trilha rústica até chegar à cachoeira da Solidão, que forma uma piscina natural, ideal para as crianças. Mas é preciso tomar cuidado com o poço em frente à cachoeira, que é bem fundo.

  • Localização: logo após à ponte, na direção da praia do Saquinho, subir à direita
  • Extensão e tempo aproximado: 850 metros / 15 minutos
  • Nível de dificuldade: fácil
  • Dica Santa Ilha: durante a alta temporada e nos dias mais quentes, a procura é grande pela trilha. Como a cachoeira é pequena, o ideal é ir bem cedo pela manhã ou procurar visitar quando a cidade não está tão lotada de turistas.

 

3) Trilha do Morro do Lampião

Uma visão total do Sul da Ilha, todas as suas praias, nuances, cores e paisagens. Essa é a imagem do alto do Morro do Lampião. Se a vista é de tirar o fôlego, a subida pra chegar até o topo da trilha também é de fazer você ficar sem ar. A extensão da trilha não é tão longa (1.800 metros), mas quase a totalidade do percurso é feita de subidas íngremes. Haja disposição! O início da trilha é de estrada de areia e, após passar por uma antena e uma rocha, o restante do caminho é praticamente de mata fechada. Em uma bifurcação, ao pegar o caminho da esquerda, você encontra a famosa Pedra do Urubu – com vista para o Campeche, leste e sul da Ilha. Pegando à direita, irá encontrar outra pedra com vista para o Campeche, Rio Tavares, Carianos, Costeira e Saco dos Limões. As vistas lá de cima são realmente de cair o queixo.

  • Localização: o início fica em uma servidão larga de chão de barro (Servidão Brasiliense), que é acessada pela Rua Pau de Canela, no Campeche
  • Extensão e tempo aproximado: 1.800 metros / 40 minutos
  • Nível de dificuldade: médio
  • Curiosidade: o nome do morro faz referência aos lampiões usados pelos moradores locais para orientar os aviadores franceses que pousavam ali nos anos 1920 e 1930. Entre eles, esteve o piloto e escritor Antoine de Saint Exupéry, autor do livro “O Pequeno Príncipe”.

A Trilha do Morro do Lampião é uma das mais procuradas para fazer no Sul da Ilha.

4) Trilha da Lagoinha do Leste

Pra chegar até a praia da Lagoinha do Leste, você pode optar por dois caminhos de trilhas: um pelo Pântano do Sul e outro pela praia do Matadeiro. Bem selvagem e preservada, a Lagoinha é uma praia mais reservada, mas que é atração certa na temporada de verão. A forma mais rápida de chegar por lá é pelo Pântano do Sul, em uma trilha que leva cerca de 1h30. Pelo Matadeiro, o percurso é mais bonito, mas também mais demorado: 3h. Se você optar por ir pelo Matadeiro, vai encontrar pela frente um verdadeiro desafio trilheiro: subidas íngremes e pedras grandes e escorregadias. Em compensação, terá vistas lindas, com paisagens que misturam o azul do mar com o verde da mata nativa. Ao chegar à praia da Lagoinha você verá um verdadeiro paraíso. As ondas agitadas contrastam com a calmaria do lugar. No meio da praia há também uma lagoa, ideal para relaxar. Se você tiver disposição, dá ainda pra subir até o Morro da Coroa, famoso ponto da trilha, que tem mais subidas íngremes, em que muitas vezes é preciso usar as mãos para conseguir subir. A trilha via Pântano do Sul é mais bem sinalizada, em um percurso mais curto, mas também inclinado. Neste percurso não há muitas vistas para apreciar, já que o trajeto é quase todo de mata fechada. Uma boa dica é ir até a trilha da Lagoinha pelo Pântano do Sul (que é mais longo) e voltar a pé.

  • Localização: pelo Pântano do Sul o início fica na rua Manoel Pedro Oliveira, em uma pequena via à esquerda da SC-406 / pelo Matadeiro, é preciso entrar mata adentro pelo canto direito da praia
  • Extensão e tempo aproximado: pelo Pântano do Sul são 2.300 metros e 1h30 / pelo Matadeiro são 3h e 4.300 metros
  • Nível de dificuldade: médio a difícil
  • Dica Santa Ilha: esteja bem preparado e equipado para encarar mais de 4h de trilhas! Se você quer se aventurar e passar pelos dois caminhos, nossa dica é começar pelo caminho mais longo (Matadeiro) e, na volta, quando você estiver mais cansado, fazer o trajeto de volta pelo Pântano do Sul.

Depois de um trajeto que exige um certo esforço, a recompensa da Trilha da Lagoinha do Leste faz tudo valer a pena.

5) Trilhas da Ilha do Campeche

Trilhas dentro de ilha? Tem também! Se você se aventurar em passar um dia na paradisíaca Ilha do Campeche, não pode perder de fazer as trilhas do local. Há seis opções de trilhas de diferentes níveis de dificuldade e duração. Uma delas está fechada para o público, e as outras cinco só podem ser visitadas com um monitor ambiental. Pra preservar e fazer a manutenção das trilhas, é cobrada uma taxa que varia de R$ 10 a R$ 25, mas vale à pena. Confira abaixo nosso guia para cada trilha!

– Trilha da Pedra Fincada

Ideal pra quem está começando a se aventurar em trilhas, a Pedra Fincada tem um grau de dificuldade baixo. Sem grandes obstáculos, o percurso é de cerca de meia hora de caminhada em meio a muitas áreas verdes. A trilha leva até um dos pontos mais altos da Ilha do Campeche, onde podem ser avistadas as costas leste e oeste. Disposta próxima do mar, a pedra tem aproximadamente nove metros de altura. Dá pra imaginar o visual incrível, né?

– Trilha do Letreiro

Com nível médio, o percurso dura cerca de uma hora em uma caminhada morro acima. No início da trilha encontra-se uma oficina lítica com seis amoladores em rocha de granito. Depois, em meio à vegetação nativa, dá pra avistar a exuberante paisagem da costa leste. Na volta, a descida é íngreme, mas há mais atrativos: um sítio arqueológico que tem o maior número de inscrições rupestres da Ilha – aproximadamente 40. Lá está a famosa “Máscara Gêmea”, um tipo de inscrição na pedra rara no mundo e que valeu à Ilha o tombamento como patrimônio arqueológico. É quase uma aula de história!

– Trilha da Pedra Preta do Sul

De nível médio, este percurso leva cerca de 40 minutos pra ser concluído. Aqui dá pra conhecer a parte leste da Ilha do Campeche em um visual recheado de verde da Mata Atlântica. No caminho há um mirante onde é possível observar as ilhas costeiras, como Moleques do Sul, Xavier e Aranha. Ao final, também há várias inscrições rupestres!

– Trilha da Pedra da Vigia

Quando a pesca de baleias era permitida no Campeche, um vigia era responsável por ficar o tempo inteiro de olho no mar. Assim que avistasse algum movimento suspeito, ele chamava os companheiros para ir à caça das baleias. A Pedra da Vigia era o melhor lugar pro serviço. Com grau de dificuldade alto, a trilha que leva à pedra tem cerca de 40 minutos de caminhada. Ao fim da trilha, é possível avistar toda a costa sudeste de Florianópolis, como Matadeiro, Lagoinha do Leste e Joaquina. A trilha passa também por ruínas de fornos e extração de óleos de baleias, além de um sítio arqueológico.

– Trilha da Volta Norte

Tem disposição? Então esta é a sua trilha! São duas horas de caminhada com um grau alto de dificuldade. O caminho passa o costão norte da Ilha, no Saco do Rosa, Pedra Fincada e um costão com nove inscrições rupestres no chão. O percurso leva também à Pedra Preta do Norte, um sítio arqueológico com 20 inscrições, e à Pedra do Ímã, que tem uma sinalização sobre uma pedra que é capaz de desorientar bússolas. Depois de um percurso cansativo, você chega à Praia da Enseada, que é composto por um sítio arqueológico com cinco oficinas líticas com diferentes amoladores em granito e basalto.

– Trilha Caverna dos Morcegos

Com visitação suspensa por tempo indeterminado pra recuperação ambiental, a trilha é a mais demorada da ilha e com um grau alto de dificuldade. São três horas de caminhada em meio à vegetação nativa até a costa sudeste da ilha. A Caverna dos Morcegos é uma formação rochosa que forma um abrigo com área de aproximadamente 15 por 30 metros. Pra chegar até a caverna é preciso seguir por uma trilha dentro da Mata Atlântica. O encontro das pedras forma lindas piscinas naturais com água cristalina e peixes coloridos.

  • Dica Santa Ilha: os passeios às trilhas podem ser cancelados devido às chuvas ou por estarem em manutenção. Informe-se sempre com os barqueiros da região! Lembrando que pra fazer essas trilhas você deve ir até à Ilha do Campeche, que só pode ser acessada por barcos pagos.

Na Ilha do Campeche, além da sua praia paradisíaca, as suas trilhas tornam a visita inesquecível.

6) Trilha Caminho da Gurita

O Caminho da Gurita é um antigo percurso colonial do século XIX, que conta com várias ruínas de construções usadas por donos de engenhos e um sítio arqueológico. Cercado de muita área verde, o ponto alto é a Cachoeira do Peri, dentro do parque da Lagoa do Peri, local ideal para banhos e com um paredão enorme com outra cachoeira ao fim do caminho. O trajeto é fácil de ser percorrido e leva em torno de uma hora, com alguns obstáculos, como travessias por riachos largos e trechos no nível da lagoa bastante alagados. Durante o percurso, você vai se deparar com nove córregos com fonte d’água potável.

  • Localização: entre na rua Euclides João Alves, 1,5 km após a entrada do parque da Lagoa do Peri. Seguindo por 500 metros pela via principal, você chegará ao início do caminho
  • Extensão e tempo aproximado: 3.000 metros / 60 minutos
  • Nível de dificuldade: fácil
  • Dica Santa Ilha: por conta dos trechos alagados e da vegetação rasteira, a nossa dica é ir de calça e tênis para essa aventura. É possível ir com um guia gratuitamente, mas é preciso agendar com antecedência no parque da Lagoa do Peri.

 

Agora é com você! Qual das trilhas você vai encarar primeiro? Desejamos um inesquecível passeio 🙂

 

Felipe Coin Bacichette
Felipe Coin Bacichette
Felipe fornece as informações técnicas e mercadológicas para a produção de todo o conteúdo do Blog Santa Ilha. É administrador de empresas, especialista no mercado imobiliário e apaixonado pela arte de entender e atender as pessoas. Gaúcho de Caxias do Sul, foi lá que iniciou a vida de empreendedor e adquiriu experiência em grandes marcas do mercado imobiliário. Mora em Florianópolis-SC desde 2013, onde fundou a Santa Ilha Imóveis e encontrou o equilíbrio entre a realização profissional e a qualidade de vida. É casado e tem uma filha que já nasceu com os pés na areia ; )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *